O que esperar do novo álbum de Lady Gaga?

Diva pop retorna esse ano com seu sexto álbum de estúdio.

0
159
Capa oficial do novo álbum de Lady Gaga (Foto: Divulgação)

Desde que foi anunciado, o “Chromatica” de Lady Gaga se tornou um dos lançamentos mais aguardados do ano. O primeiro single “Stupid Love” vazou 1 mês antes de ser lançado oficialmente, e conseguiu fazer um sucesso bem grande, com o maior debut feminino do ano até o momento na Hot 100, na posição #5, e já conta com mais de 100 milhões de reproduções no  Spotify. A música um tanto quanto controversa retorna ao pop dance clássico de Gaga que fez dela a popstar que ela é hoje.

A cantora teve em 2013 um momento conturbado em sua carreira, pois o álbum “Artpop” que era uma grande aposta mas acabou não vingando, e além das baixas vendas e baixo desempenho dos singles, ainda enfrentou forte rejeição da crítica especializada. Naquele momento um grande fenômeno estava prestes a se consagrar como uma das maiores divas pop de todos os tempos, Katy Perry, que saía da bem sucedida Era “Teenage Dream” que lhe rendeu uma enxurrada de hits e se preparava para o seu terceiro álbum de estúdio, o “Prism”. Com uma sucessão de acontecimentos os lead singles de “Prism” e “Artpop”, “Roar” e “Applause” respectivamente, foram lançados praticamente juntos, e se por um lado a canção de Katy foi um sucesso estrondoso, um dos maiores de sua carreira, inclusive, “Applause” rendeu a Gaga um gosto amargo de pior pior desempenho de um lead single desde sua estreia na indústria.  Gaga notoriamente nunca foi o tipo de pessoa que divide os holofotes numa boa, e naquela momento eles se voltaram somente para a queridinha do momento, Katy Perry.

Depois disso, Gaga fez uma pausa e lançou um álbum jazz, que já estava em seus planos antes do fracasso do “Artpop” e para limpar de vez sua imagem tão estereotipada, lançou em 2016 o pessoal “Joanne”. O álbum mesclava pop com country e apesar de não ter sido um grande sucesso, teve boas vendas, rendeu prêmios e elogios. Nessa era o público viu uma Lady Gaga mais madura, “despida” e livre de sua antiga imagem. Depois disso veio a sua volta por cima, participando do filme “A Star Is Born” (Nasce Uma Estrela), onde ela atuou como protagonista, venceu Oscar, e lançou o álbum homônimo ao filme, que estava na trilha sonora deste e rendeu à cantora o seu primeiro grande hit na era dos streams, a música “Shallow”, que já conta com mais de 1 bilhão de reproduções no Spotify.

Agora em 2020, a diva retorna com o sucessor do “Joanne” e volta às suas origens, porém de forma mais sincera, não deixando para trás o que o antecessor nos trouxe. É um misto da Lady Gaga antiga com a madura que atravessou tantos percalços, mas que deu a volta por cima. “Chromatica” certamente será uma álbum voltado para os charts, provavelmente não trará nada de novo, mas muita nostalgia certamente seu fiel público vai sentir, revivendo um pouco de tudo que a cantora já fez na indústria: música para as baladas, sobre ser livre e auto astral. “Rain On Me”, parceria com Ariana Grande está provando a força que o nome Lady Gaga ainda tem e tudo indica que esse álbum terá muito êxito, em todos os sentidos.

Então anota aí: nesta sexta (29) o “Chromatica” estará entre nós!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*

code