Naya Rivera morre aos 33 anos

O corpo da atriz foi encontrado 5 dias após seu desaparecimento.

0
98
Naya Rivera. (Foto: Reprodução).

Nesta segunda-feira (13), a polícia de Ventura, na Califórnia, confirmou a morte de Naya Rivera, 33, após cinco dias após o desaparecimento da atriz durante passeio no lago Piru.

+ Benjamin Keough, neto de Elvis Presley, morre aos 27 anos

As buscas por Naya começaram na última quarta-feira (08), quando a artista desapareceu durante um passeio de barco com seu filho, Josey de 4 anos, que foi encontrado sozinho e afirmou que a mãe não voltou mais depois de um mergulho.

Segundo a polícia, a corrente estava muito forte no dia em que Naya desapareceu, o que pode ter contribuído para o afogamento acidental da atriz.

Vida e carreira de Naya Rivera

Naya Rivera nasceu em janeiro de 1987 na Califórnia e começou a atuar ainda bebê. O primeiro destaque da carreira foi aos 4 anos na comédia da CBS “The Royal Family”, fazendo participações também em programas como “Um Maluco no Pedaço”, “Baywatch” e “CSI: Miami”.

O maior destaque da carreira foi na série “Glee” quando Naya interpretou Santana Lopez, uma líder de torcida, e apareceu em 113 episódios. O musical de sucesso foi transmitido de 2009 a 2015, mas Naya saiu da produção em 2014.

+ Mayra Cardi sobre Arthur Aguiar: “Me casei com um gigolô”

Além de seu trabalho como atriz, Rivera também era modelo e tinha uma carreira como cantora. Naya lançou o single “Sorry” com participação de Big Sean em 2013.

A atriz tinha 33 anos e deixa o filho de 4 anos que estava com ela no passeio de barco, fruto do relacionamento com o ator Ryan Dorsey. Eles se casaram em 2014, mas se separaram quatro anos depois.

Quer acompanhar tudo sobre Famosos, Notícias da TV, Audiência da TV, Mundo Pop, Futebol, Streaming, Programação de TV, Novelas e mais? Siga nossas redes sociais, FacebookInstagram, ou Google News! Ou procure digitando nos resultados de busca por: ADTV!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*

code