Atlético Mineiro segue os passos do Cruzeiro a caminho da falência.

Entenda como o galo pode seguir os mesmo passos da raposa.

0
172

Todo fã do futebol brasileiro acompanhou no ano passado e vem acompanhando nesse ano de 2020 o caos que o Cruzeiro, um dos mais tradicionais clubes de Minas Gerais, vem passando. Com dezenas de centenas de milhares de dívidas, chama atenção os casos em específico das contratações que o clube celeste fez e não pagou. Atletas como o atacante Willian Bigode, hoje no Palmeiras, o volante Denílson, o Atacante Pedro Rocha, hoje no Flamengo entre vários outros.

O não pagamento da compra desses atletas causou ao Cruzeiro diversos processos na FIFA, a entidade máxima do futebol. Os clubes cobraram do gigante celeste o pagamento das contratações, afundado em dívidas devendo mais de 800 milhões de reais .

O Atlético Mineiro, segue o exemplo do seu rival. Em tempos de pandemia extrema, clubes sem receitas e sem previsão de quando o futebol voltará a atuar o galo mineiro gasta como se não houvesse amanhã. Durante essa semana o clube já anunciou a compra do volante Léo Sena ex-Goiás por 4 milhões de reais e também do volante do Independiente del Valle Alan Franco.

Antes disso o galo já havia contratado o técnico Jorge Sampaolli pela bagatela de 1 milhão de reais mensais.

Sem receita e tendo que recorrer a empréstimos milionários da construtora MRV e do Banco BMG para evitar sanções na FIFA que acarretariam perca de pontos no campeonato brasileiro, situação idêntica ao que seu rival vem enfrentando, o galo não para de gastar.

A receita do fracasso está lançada, gastar mais do que arrecada é o primeiro passo para o caos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*

code